8 coisas que todo educador precisa saber sobre a BNCC

Se você trabalha com educação no Brasil, com certeza já ouviu falar sobre a Base Nacional Comum Curricular (BNCC). O documento consiste em um conjunto de diretrizes base para a composição dos currículos de todas as instituições de ensino básico e fundamental do país. Continue a leitura e saiba mais!

Se você trabalha com educação no Brasil, com certeza já ouviu falar sobre a Base Nacional Comum Curricular (BNCC). O documento consiste em um conjunto de diretrizes base para a composição dos currículos de todas as instituições de ensino básico e fundamental do país. Continue a leitura e saiba mais!

bncc

#1 Que instituições estão implicadas na adesão

Conforme já sinalizado, a BNCC está prevista em lei no Brasil desde 2017. Isso significa que todas as escolas do país, seja da rede pública ou privada, devem se adequar às diretrizes. Isso significa ampliar o leque de oferta de conteúdos na grade curricular, trazendo formas de desenvolver as competências da BNCC para além das disciplinas regulares.

#2 Qual o prazo de adesão

A BNCC passou a ser obrigatória no começo do ano letivo de 2020. Com isso, toda escola que iniciar suas operações após esta data, já deverá estar regulamentada. A adesão à BNCC, especialmente para instituições que precisam migrar seus planos pedagógicos, é um processo desafiador. Muitas mudanças e inovações precisam ser implementadas, e um processo de adaptação de toda a comunidade escolar é necessário. 

Por isso, é super normal que os fluxos ainda estejam se ajeitando. Se você ainda estiver com dúvidas sobre como direcionar este processo na sua instituição, conte com a Inicie Educação, nós podemos te orientar!

#3 Se é tanta coisa para fazer, como começar a colocar a BNCC em prática

A primeira coisa a se pensar neste caso é na realidade e no cenário atual em que a sua instituição de ensino se encontra. Afinal, tudo será orientado a partir disso. Não há uma regra, ou padrão oficial de como a BNCC deve ser implementada nas escolas. Cada instituição tem autonomia para identificar os caminhos possíveis para a sua realidade.

Ao identificar o cenário atual da instituição, será possível detectar as principais necessidades do corpo docente, e também dos alunos. Dessa forma, será possível investir em capacitações e cursos preparatórios para a equipe pedagógica, além de desenvolver trilhas de acordo com o que se apresenta mais latente entre os estudantes.

#4 O que deve fazer a equipe de apoio pedagógico no processo

O primeiro passo é que todos devem estudar e conhecer profundamente as diretrizes da BNCC. Independente das atribuições dos integrantes da equipe pedagógica, é fundamental que todos saibam para onde a escola está indo, que linguagem está comunicando e que objetivos possui.

Assim, é possível que os estudantes — e até mesmo os professores — contem com um apoio altamente qualificado quando necessitarem ao longo do processo. Por isso, o apoio de equipes ou profissionais especializados na implementação da BNCC poderá ser fundamental.

#5 Competências socioemocionais

Aqui chegamos neste que se apresenta como um dos maiores desafios trazidos para as escolas pela implementação da BNCC. O desenvolvimento das competências socioemocionais assusta a todos por se tratar de algo tão diferente do que estamos acostumados a trabalhar nas escolas, e também de algo totalmente subjetivo.

Existem algumas indicações dentro da própria BNCC sobre o que é esperado deste desenvolvimento, e que tipo de resultados se almeja. Dentre eles, destacam-se: liderança, gestão das emoções e trabalho em equipe

Existem variados tipos de exercícios práticos que podem ser aplicados para ajudar os alunos neste desenvolvimento. É possível também determinar objetivos ao longo do ano para que sejam perseguidos, e que no final haja uma maneira de verificar esta aprendizagem.

#6 O que é uma gestão escolar democrática e como ela pode ajudar

A gestão escolar democrática é uma forma de colocar algumas das diretrizes da BNCC em prática desde as instâncias superiores. Isso porque faz parte das definições que a instituição de ensino seja um espaço democrático de ensino.

Este tipo de ambiente se torna mais aberto e receptivo a ouvir e atender as necessidades da comunidade escolar, permite o estímulo a diálogos francos e consegue englobar pais, alunos e professores em uma rede conectada e colaborativa. 

Ao ler com atenção as diretrizes da BNCC, é possível ver que tudo isso está previsto de ser desenvolvido nos estudantes. E que forma melhor de dar início a isso do que através do exemplo? Experimente esta prática na sua instituição e comece a colher os resultados!

#7 Se dá para avaliar pontos subjetivos, como fazer isso

O desenvolvimento social, assim como os aspectos socioemocionais mencionados em um dos pontos anteriores, é de muito difícil mensuração por ser subjetivo. Sendo assim, é preciso encontrar formas de quantificar e padronizar aquilo que for possível para obter maior clareza sobre o direcionamento implementado.

A maneira mais utilizada para validar o aprendizado na educação tradicional é a realização de provas. No caso do desenvolvimento social, propõe-se que sejam colocadas em prática atividades de autoavaliação pelos alunos. Fazendo isso com frequência, os professores conseguem ter uma dimensão de que ações estão trazendo resultados, quais podem ser otimizadas e o que precisa de mais atenção no momento.

#8 Por último, e não menos importante, como adequar o plano pedagógico à BNCC

O Plano Político Pedagógico da instituição deverá ser totalmente atualizado quando da adesão às diretrizes da BNCC. Isso porque não se trata simplesmente de incluir ideias de atividades, ou temas de textos para leitura, no currículo padrão da escola. É preciso visitar todo o sistema de ensino, encontrando espaços de aplicação de novas atividades.

Isso requer uma transformação completa do plano político pedagógico, levando-se em consideração ainda todos os envolvidos neste processo. Assim, será preciso absorver para as práticas diárias da sua instituição todos os direcionamentos previstos na BNCC. O modo como isso será feito fica a critério de cada instituição, e você pode contar com o apoio de profissionais especializados para encontrar o ideal para a sua.

O que é a BNCC

O grande objetivo por trás desta regulamentação, já prevista em lei, é garantir um ensino de qualidade padronizado entre as instituições de ensino. Assim, busca prever o desenvolvimento de determinados temas ou competências como parte obrigatória para esses níveis educacionais.

Com isso, professores e educadores precisarão aplicar seus conhecimentos e se atualizar através das práticas de educação continuada, para garantir que isso seja cumprido. A ideia é que, ao final do ensino fundamental, todos os alunos saiam com as 10 competências principais da BNCC desenvolvidas. São elas:

  1. Valorizar o conhecimento;
  2. Exercitar o pensamento científico, crítico e criativo;
  3. Construir e valorizar o uso de um repertório cultural;
  4. Desenvolver a comunicação;
  5. Adotar e compreender uma cultura digital;
  6. Atuar em prol de um trabalho e projeto de vida;
  7. Desenvolver técnicas de argumentação;
  8. Ampliar práticas de autoconhecimento e autocuidado;
  9. Praticar empatia e cooperação;
  10. E agir com responsabilidade e cidadania.

Cada uma das competências macro descritas na BNCC conta com uma série de atividades que podem ser realizadas, e marcos que são considerados no seu atingimento. As equipes pedagógicas devem ficar atentas para colocar tudo isso em prática com os alunos, sem perder a leveza do dia a dia.

O que é a BNCC

O grande objetivo por trás desta regulamentação, já prevista em lei, é garantir um ensino de qualidade padronizado entre as instituições de ensino. Assim, busca prever o desenvolvimento de determinados temas ou competências como parte obrigatória para esses níveis educacionais.

Com isso, professores e educadores precisarão aplicar seus conhecimentos e se atualizar através das práticas de educação continuada, para garantir que isso seja cumprido. A ideia é que, ao final do ensino fundamental, todos os alunos saiam com as 10 competências principais da BNCC desenvolvidas. São elas:

  1. Valorizar o conhecimento;
  2. Exercitar o pensamento científico, crítico e criativo;
  3. Construir e valorizar o uso de um repertório cultural;
  4. Desenvolver a comunicação;
  5. Adotar e compreender uma cultura digital;
  6. Atuar em prol de um trabalho e projeto de vida;
  7. Desenvolver técnicas de argumentação;
  8. Ampliar práticas de autoconhecimento e autocuidado;
  9. Praticar empatia e cooperação;
  10. E agir com responsabilidade e cidadania.

Cada uma das competências macro descritas na BNCC conta com uma série de atividades que podem ser realizadas, e marcos que são considerados no seu atingimento. As equipes pedagógicas devem ficar atentas para colocar tudo isso em prática com os alunos, sem perder a leveza do dia a dia.

Com uma coleção de unidades curriculares, desenvolvidas como eletivas, para trabalhar as habilidades e competências gerais dos quatro eixos estruturantes (investigação científica, processos criativos, mediação e intervenção sociocultural e empreendedorismo), o módulo Inicie Conteúdo auxilia as instituições a atender às demandas da BNCC e Novo Ensino Médio em uma formatação que é flexível ao seu plano pedagógico, apoia os educadores e engaja os aprendizes. Solicite uma demonstração com nossos consultores, ou conheça mais em nosso site.